Os gays merecem uma militância intelectualmente melhor

Segue um texto interessante retirado de um blog (Implicante.org) que discute política, mas que no presente texto acaba por entrar em assuntos tratados aqui neste blog. (O citado blog não possui qualquer ligação com nosso blog).

O título abaixo é para chamar a atenção, uma crítica a um texto publicado no “blogay” hospedado na Folha de São Paulo, mantido por um jornalista gay, a fim de deixar a “contribuição dos gays, lésbicas e travestis para o mundo”, e tal “contribuição” ocorre num texto questionando, em tom negativo, a sexualidade do prefeito de São Paulo, em função de algumas leis que entraram em vigor recentemente – nem todas municipais.

O texto original, no blogay é:   Gilberto Kassab é gay?

Segue a crítica do referido blog (Implicante.org) em 10/08/ 2012:

——————————————

Dilma Rousseff é Lésbica?

Várias pessoas, vira e mexe, me fazem essa pergunta: “Dilma Rousseff é lésbica?”. Se Datafolha fosse, diria que Dilma Rousseff é a personagem sobre a qual meus amigos mais tem curiosidade de saber a orientação sexual, tipo 24% a mais do que a de algum ator de novela ou estrela de Hollywood.

O que acharam do parágrafo acima? E do título do texto? Sim, ridículos. Sim, inaceitáveis. Sim, DEPLORÁVEIS. Sim, antes e acima de tudo não apenas um “ataque” à Dilma, mas aos sobretudo próprios gays e lésbicas, usando-os (e também sua causa) como massa-de-manobra-partidária na condição de grupo objeto de discriminação. E, como vão ver, por meio de argumentos NEGATIVOS.

Foi exatamente isso que fez um um militante gay em seu blog na Folha de São Paulo, apenas troquei os nomes e o percentual engraçadinho (pus outro também engraçadinho). Sim, ele fez isso. E é mais “grave” do que se imagina.

Vejamos.

O militante se chama Vitor Angelo e tem um blog na Folha de São Paulo – veículo sobre o qual falamos aqui, quanto ao PT. Vitor Angelo também tem fotos divulgadas pelo aplicativo Instagram e, se não cair a internet, será possível notar a predominância de imagens tirando sarro de mulheres pobres na rua, no transporte coletivo etc. E o colunista reclama de quem, segundo ele próprio, não gostaria do “povo”. Ok.

Um trecho é assustadoramente revelador:

Porém, entendo o interesse das pessoas pela sexualidade de Kassab. Um prefeito que proíbe artistas de rua, ovos com gema mole, gritos de feirantes anunciando seus produtos na feira ou o sopão para mendigos, deve ser alguém que é um prato cheio para os psicanalistas. Alguma coisa deve ter de errado…” (grifos nossos)

Como é ele quem primeiro levanta a psicanálise, cabe questionar o porquê da homossexualidade ser colocada como algo “errado” em seu texto; e ele o faz de forma expressa, talvez sem prestar atenção no ato-falho (se é que foi falho, mas parece ter sido).

Vale lembrar que algumas das “proibições” são da esfera federal, como essa da gema. Mas, ok, reclame-se da atuação do prefeito, um direito de todos os cidadãos. Levantar sexualidade, e de modo a colocá-la como algo negativo, é um jogo muito baixo. É escrotice, mesmo.

E o mais incrível é que parte da militância ENDOSSA essa mania às vezes obsessiva de tratar a sexualidade dos outros. Parece que seria mais adequado cada um cuidar da sua vida, mas isso não acontece com a parcela que confunde militar pela diversidade sexual e fazer campanha partidária pura e simples.

São os mesmos que não perdoam “piada de bicha” em programas humorísticos ou shows de comédia (e têm razão nisso, a meu ver), mas fazem vistas grossas ao que vai a seguir:

Não atacam os partidos ou políticos de que gostam, mesmo quando afrontam de forma inequívoca as bandeiras que defendem. “Ah, é piada inocente” – ou algo assim. Acontece.

De acordo com o raciocínio do colunista, o “interesse pela sexualidade” de um político adviria de comportamento reprovável (no caso de Kassab, proibições, mesmo as da Anvisa, que é federal…). Assim, “alguma coisa deve ter de errado” e seria “prato cheio para psicanalistas”.

Reiterando a equação: lista de “defeitos” de administrador público = “prato cheio para psicanalistas” + “alguma coisa deve ter de errado” – tudo isso para explicar o questionamento de sua… SEXUALIDADE!

Esse foi o desserviço que Vitor Angelo prestou à sua causa, em nome de um serviço à sua militância político-partidária enviesada. Não gosta do Kassab? Ok, xingue, fale mal etc, mas associar homossexualidade a “alguma coisa deve ter de errado”, convenhamos, está abaixo de qualquer razoabilidade.

Por falar nisso, o que os psicanalistas diriam do vídeo de Lula? Lula é gay? Tem “alguma coisa de errado”? É “prato cheio para psicanalistas”? Pois é… A militância por uma causa às vezes rasga a própria bandeira sem perceber (suponho que não tenha percebido) na hora de “atacar” adversários de outras esferas.

ps.: O texto todo de Vitor Angelo é escroto, mas o truque de só no finalzinho dizer que a questão não importa é de um cinismo tacanho. Os gays merecem uma militância intelectualmente melhor.

————————————— [FIM]

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Os gays merecem uma militância intelectualmente melhor

  1. Luiz disse:

    Meus Caros,

    Permitam-me comentar o assunto inicial deste blog. Trata-se da relação entre palavra (significante) e significado (sentido) no que se refere ao vocábulo “homofobia”.

    Consultando o dicionário Houaiss Eletrônico (2009), notamos que a palavra existe e tem o seguinte significado:
    homofobia: s.f. rejeição ou aversão a homossexual e à homossexualidade ¤ etim hom(o)- + -fobia

    O Moderno Dicionário da Língua Portuguesa Michaelis (2007) traz a seguinte informação:
    homofobia
    ho.mo.fo.bi.a
    (homo(ssexual)+fobo+ia1) sf 1 Preconceito contra os homossexuais. 2 Ódio aos homossexuais, muitas vezes levando à violência física.

    O Dicionário Jurídico (http://www.conteudojuridico.com.br/dicionario-juridico,homofobia,29696.html) apresenta este teor:

    Homofobia é uma Violação / Crimes contra os Direitos Humanos que consiste na intolerância, discriminação, ofensa ou qualquer manifestação de repúdio à homosexualidade e à homoafetividade. Homesexualidade representa a orientação sexual de um cidadão que escolhe como parceiro ou companheiro uma pessoa do mesmo sexo. A homosexualidade não pode ser considerada doença nem distúrbio mental pois significa a escolha livre de indivíduos saudáveis, responsáveis e conscientes dos seus direitos enquanto cidadãos. Homofobia é uma violação do Direito Humano fundamental de liberdade de expressão da singularidade humana, assim como é um comportamento preconceituoso e imoral. As leis em vigor no Brasil ainda não preveem o crime de homofobia, apesar de a Constituição Federal de 1988 determinar no Art. 3, inciso XLI que “Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil: promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação; e no Art. 5º, inciso XLI, que “a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais”.

    Espero ter colaborado.

    Muito grato,

    Luiz

    • Caro Luiz, “homofobia” significa “medo do igual/semelhante”; referindo-se “homo” ao homossexual, então “homofobia” significa “medo de homossexual”. Fobia em grego significa “medo”. Em grego, ‘missos’ é a palavra para ódio.

      Interessante este dicionário jurídico, dizer inicialmente que “homofobia” é crime, e no final reconhecer que não é crime… Bem, há pessoas que discriminam homossexuais? Sim. Assim como há quem discrimine negros, pobres, nordestinos, torcedor de outro time, etc. Somente dizemos aqui que a palavra usada pela militância não tem o significado inventado por ela. Obviamente que nem todos aqueles aos quais a militância chama de “preconceituosos” o são de fato.

      Os significados que vc postou, estão daquela maneira nos dicionários porque a militânica além de inventar um significado que a palavra não tem, conseguiu ‘convencer’ os jornalistas a utilizarem tal palavra desta maneira, afinal, a ditadura do politicamente correto tem poder em nosso país. E assim, os editores de dicionários acabam por registrá-la desta maneira. Depois deste processo, alguém vem e diz: “veja o dicionário, está lá o significado da palavra…”, um processo quase circular.

      É o mesmo erro cometido com a palavra “xenofobia”, que significa “medo de estrangeiro”. A palavra que expressa “ódio ao estrangeiro” é “misoxenia”. Lembra? Ódio em grego é ‘missos’. Como as feministas caracterizam os machistas? Dizem que eles praticam “misoginia”, percebe o “missos” ali? Vemos que as militantes feministas estudaram um pouco, já os militantes gays…

      Abraço.

      • Miguel disse:

        Quem inventou a palavra homofobia nem sequer foi um militante gay, nem nada disso, os gays é que o usam por ja estar definido previamente. A primeira vez que isso foi usado foi num jornal que já nao me lembro se foi americano ou inglês, por um medico. Utiliza-se homo, de igual, uma vez que é a relação entre duas pessoas iguais em termos de genero. E já que gosta de falar de gramatica, não se esqueça que há palavras com duplo significado, a forma de usar é que muda, ou seja, o seu contexto. Sim, homofobia existe, seja em que contexto for.

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s